Pequenas Mentiras: O melhor vinho é aquele que você gosta



O melhor vinho é aquele que você gosta. Mentira.
 Eu não posso te dizer o número de vezes que eu ouvi, comerciantes, consumidores, colegas e até eu mesmo dizer isso. Isso é mentira, não acreditem nisso.
Andei refletindo e cheguei a essa conclusão através de uma pergunta que me fiz hoje no almoço: Por que todos dizem isso? A resposta que encontrei é realmente simples: eles acham que o vinho vai ficar mais acessível a um número maior de pessoas. Eles pensam que estão fazendo um favor a todos pela democratização  do vinho. O vinho é um produto elitista, sinto dizer isso assim tão direto.
Se você acredita que o que você gosta é "bom", então você não se sente desafiado ou curioso realmente aprender em aprender mais sobre as categorias de vinho nas diversas  degustações que existem por ai, onde a ideia é buscar apreender as particularidades que lhe permitem ser mais  perspicaz.
Se você está provando, por exemplo, um monte de Barolos, o "Se eu gosto, é bom" pode liberta-lo de qualquer obrigação de distinguir-lo entre as características, digamos, das zonas de La Morra e os de Castiglione Falletto ou Serralunga d'Alba.
Imagine se esta abordagem tivesse sido aplicada na Borgonha, quando os burgúndios chegaram aos seus rankings de qualidade altamente exigentes da Grand Cru e Premier Cru. Uma das características mais admiráveis sobre grands Borgonha e premiers crus é que dentro de suas respectivas categorias não há delimitação e ninguém precisava. Todos grands crus são de igual valor, não importa as diferenças dramáticas entre suas características, digamos, Chambertin e Corton. Cada um recebeu seu status por causa da originalidade do seu respectivo terroir, ao invés de um critério particular de um ou outro provador.
Aqui está a linha de fundo: Se você gostar, ótimo. Bom para você. Beba e aproveite. Todos nós, eu inclusive, busco sempre  alcançar isso . Mas reconhecer o que é "bom" é outra questão.

2 comentários:

Fatimawine disse...

Caro Zainer,

Pequena mentira ou uma grande verdade?!

O gosto é pessoal e intransmissível.Depois, há o conflito de interesses, o meu é o melhor.Digamos:O melhor não tem que ser meu, mas, pode até sê-lo.
à nossa!

Osvaldo disse...

"O melhor vinho é aquele que você gosta. Mentira". Eu acho que essa afirmação é muito verdadeira! comerciais são responsáveis ​​por destacar os vinhos que não são bons. E as pessoas, enganadas, a compra. Eu sou sommelier, especializei-me em grand cru.

Vale a pena experimentar