Nova série: Sic Transit Glória

Estou desempregado ou ,como dizem as pessoas da minha área: Estou no momento sem projetos a procura de novos desafios para evoluir pessoal e profissionalmente. No meu caso decidi aceitar apresentar degustações que anteriormente havia recusado por "questões de agenda". Uma delas ocorreu neste final de semana fora do estado, em Camboriu.

Cheguei ao clube, a recepcionista me desejou boas vindas e completou: O senhor pode deixar sua roupa naquele cabide.

- As maletas só tem fichas, vou voltar hoje mesmo, roupa só tenha a do corpo.

- São estas mesmo senhor, pode deixa-las no cabide.

Estava no clube de Nudismo da Praia do Pinho. Insisti que era só o palestrante e não precisaria tirar a roupa, mas ela pegou o contrato e informou que eu concordara em cumprir os regulamentos do clube e , taxativa, mostrou o valor da multa.

Sofrendo de uma timidez doentia, não mostro meu soldadinho, exceto para minha mulher e medicos, aleguei que ia precisar da ajuda de um psicólogo. A moça disse pra deixar de besteira, ninguem precisa de ajuda pra tirar a roupa depois dos quatro anos de idade. E se vier uma ereção ? - insisti. Ela contrapôs que ninguém tem ereção em colônia de nudismo. Tira, insistiu. Não tiro! Ou tira ou paga multa. Tirei.

Corri para o quarto, a mala atrás e as fichas de degustação na frente.

Sentei na cama. Tenho certeza que vão cair na gargalhada. Pior se vaiarem. Olhei para a ficha dos vinhos, azar, um deles era o Quinta da Pelada, vão pensar que estou debochando. Graças a Deus eu não trouxe o Porto do Manoel Pintão, nem o Periquita.

É melhor ensaiar até me acostumar.

Diante do espelho, nu, vou iniciando o ritual padrão. O nome das uvas, os fundamentos básicos: a cor, limpidez, aromas (Vou excluir "carvalho" porque vai que dá um ato falho...), a boca, persistência, retro-olfato (Vou excluir o retro-olfato tambem, porque se já me atrapalhei no ensaio imagine na hora, com toda aquela tesão, digo, tensão...).

Depois, vinho na taça, mostrar a cor, de topo, deitada, menisco. Agora os aromas, primeiro a taça fixa, depois aquela balançadinha...PÁRA!

Coriólis! Vvetor Coriólis! Quando uma massa gira num sentido, as outras partes tendem a girar em sentido oposto. Foi quando a rotação da Terra fez os candelabros da igreja girarem que o Galileu descobriu a lei do pêndulo e provou que a terra girava - No orçamento de corte lembrar de manter o Discovery Channel - Por isso quando eu girar a taça para um lado, o pêndulo vai girar para o outro. Sem chances, não tem jeito..vou ter que cortar.

Abri as garrafas para oxigenar e por segurança tomei o Quinta da Pelada inteiro, pois como se sabe o álcool excita a imaginação mas anula a performance.

A caminho da arena, fui pensando nos broxantes-padrão: Enterro dos pais, aula de Moral e Cívica na faculdade sábado pela manhã, filme pornô gay, vestir meia com o pé molhado, Galvão Bueno...

Entro na sala, o apresentador anunciou a presença do "Enófilo do Blog", a plateia aplaude e a ruivinha do canto sorri fazendo charme (Fila do seguro-desemprego, Torres de Nova York, Titanic, Madre Tereza de Calcutá de Biquini...)Sinto que estou perdendo, a ruivinha de olhos verdes, deu uma piscadinha. Vou radicalizar: tiro os óculos.

Inicio o curso e vou levando mas quando chega nos aromas um cara interrompe: Não vai mexer as taças ? Digo que não precisa, vinho não oxigena, é lenda, superstição. O cara de pau dá um sorriso cínico e insiste: Está no programa, faz parte do contrato, tem que rodar na taça. Lógico que o sacana já vira o vetor Coriólis funcionando e estava me encurralando, verbo mais expressivo quando você está nu e de costas para a parede.

Começo a rezar, - quem será o padroeiro dos que estão nus, Lady Godiva ? - e daí, como um raio de luz, a Lady me remete à Lei de Newton, Lex Moto Tertia: " A toda ação, corresponde uma reação igual e contrária". Pego duas taças, uma em cada mão e giro simultaneamente, uma no sentido horário e outra no sentido anti-horário. Os momentos se anulam, e o pêndulo fica lá, quietinho, mais vertical que nunca.

A platéia explode em ovação, neste caso duplamente merecido, as pessoas levantam, fazem olas e a ruivinha grita entusiasmada: Gênio, gênio!

E daí, eu me perdi. Não sei se foi a embreaguez do sucesso, do vinho, ou a ruivinha, mas que veio, veio. Em pânico, simulo um tropeção e derramo não apenas as duas taças, como o balde de gelo todo sobre o corpo. O efeito do gelo é fulminante e até entendi porque esquimós são uma raça a caminho da extinção.

Volto pra casa e começo a contar a aventura para minha esposa, ela dá um grito e começa a fazer as malas.

- O que é isso minha preta, a culpa não foi minha, você está me deixando?

- Claro que não, estou fazendo as malas para irmos ao clube de nudismo.

- Você vai virar nudista?

- Claro que não, mas é que você disse que quase teve uma ereção.

Um comentário:

A Senhora disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Perfeito!!! Quer dizer, espero que não seja isso, mesmo! kkkkkkkkkkkkk

beijocas.

Vale a pena experimentar