Vinho e sexo

Nunca foi surpresa a íntima associação do vinho à sexualidade.

Você já deve ter se perguntado por que as garrafas de vinho não são quadradas, muito mais fáceis de empilhar. A resposta é simples, a garrafa de vinho tem formas arredondadas porque é um símbolo fálico.Tenho certeza que Freud chegou a estudar a relação entre o pênis e o vinho, mas só não publicou porque habituado com a garrafa alemã, cuja forma está mais para um clister, negligenciou a garrafa bordalesa, evidentemente peniana.

Uma garrafa deveria ser áspera para permitir um empunhadura mais segura, entretanto ela é lisa, porque esta textura é mais erótica, fixação masturbatória. A forma de empunhar a garrafa ao servir o vinho, claramente masculina, quando vai ao encontro da taça, na qual a empunhadura é obviamente feminina, é uma simulação do ato sexual.

O complexo de Édipo, explica porque o filho adolescente quando assalta a adega do pai sempre vai escolher o vinho mais caro. Quando na adolescência o filho começa a beber vinho junto com o pai, esta se iniciando a dissolução do edipismo que culminará com a eliminação do instinto homicida.

Todos sabem que a compulsão pelo “ópio da elite” é uma compensação da frustração sexual. Não é coincidência esse interesse todo em vinhos ter surgido justamente quando a AIDS interrompeu o liberalismo sexual dos anos 70. Está claro para mim que o nome da síndrome, SIDA como é conhecida em Portugal, é uma falha de escrita intencional associado à SIDRA, o vinho da maçã, ou seja, o vinho da fruta do pecado original.

Quando o impulso primário de beber vinho sozinho abre espaço para o vinho a dois, o que está ocorrendo é o desenvolvimento do instinto de acasalamento, uma evolução natural da sexualidade.

O tabu primitivo do falo compele os homens a assumirem a liderança e chefia de seus clãs por isto em um jantar, é sempre o homem quem escolhe o vinho e é o primeiro a prová-lo, única manifestação comportamental que viola o “Damas Primeiro” , lei básica da sedução.

Mas quando o macho dispensa a fêmea e começa a tomar os melhores vinhos, apenas na companhia dos amigos do clube de vinho (esses devaneios de identificar aromas animais, frutas, flores são indícios de Fase Oral não resolvida), o que está ocorrendo é o declínio do Instinto de Acasalamento, primeiro passo a caminho da senilidade.

9 comentários:

Anônimo disse...

Viajou demais...

Anônimo disse...

Concordo, de vinho não tem nada

Roberto Freitas disse...

Na minha opnião é interessante como tudo que escreve. Me fez refletir e repensar a quantidade que de vezes que vou a eventos de degustação e a quantidade de vezes que tomo vinho a dois.

Francisco Soares disse...

HAHAHAHAHAH ! Boa Roberto! Agora entendemos porque a gente não o vê na ABS e porque está com o corpinho de toureiro espanhol que deixa a gente em maus lençois com as nossas patroas quando vamos comer lasagna na casa dele e da Katia!!! Passa a receita, não vem com essa conversa que acorda cedo, vai pra academia, corre com seu cahorro e toma vinho todo dia! Quer dizer...tá o vinho a gente até entende...

Patricia Mazzei disse...

Houston we have a problem.

Anônimo disse...

Onde eu acho o que voce bebeu pra escrever isso ?

Zainer Araujo disse...

Na verdade esse post era pra falar do tipo de garrafa que eu acho que seria ideal pra se armazenar vinho, aproveitando essa onde de rolhas de borracha que estão gerando muitos debates. Sexo entrou com consequencia e a teoria toda em volta dos dois assuntos (vinho e sexo) acabou saindo naturalmente por associação.

Obrigado a todos novamente por acompanhar o blog. Espero que vocês se divirtam lendo e fazendo os comentários que quiserem.

Quero dizer que já estou escrevendo uma nova onda de estórias para a série "Encontros Inusitados" em comemoração do 1o ano do Blog e espero que voces gostem também de uma personagem que devo apresentar em breve à vocês.

Um forte abraço!

A Senhora disse...

:))))
Você é ótimo!!!
E sim, sempre xingo quando percebo que as minhas garrafas não tem como ficar na minha despensa. Só podia ser coisa de homem, mesmo... :))

beijinhos

Andre Martin disse...



Genial e criativo, como sempre!

Logo notei a preocupação prática com a forma e textura dos recipientes de contenção do néctar dos deuses!
E acho que procede, com toda razão!

Ficou ainda mais divertido que vestiu todo o tema principal do post com essa conotação erótica e sexual, o que certamente muita gente não entendeu ou confundiu...

Mas, no fundo, você retrata no seu artigo o que todo mundo já sabe: o homem só pensa em sexo! Transportar isto para o ato de beber vinho é só uma forma de concretizar esse pensamento-prazer de forma mais fácil.

Vale a pena experimentar